Na onda efervescente do comércio da Vila Buarque, a região não é mais a mesma desde setembro de 2018, mês de fundação da Loja NÓ, concept store idealizada pelo agitador cultural Rodrigo Basso, 32, que busca não só vestir o consumidor mas ser uma ferramenta importante de representatividade LGBT e design autoral na moda.

Formado em administração e com experiência em fashion marketing, Rodrigo uniu a expertise em planejamento estratégico e criativo de grandes marcas em agências de publicidade ao desejo de vestir um público carente de roupas com as quais se identificam, principalmente, as roupas assinadas por marcas que combatem o preconceito, desconstroem a masculinidade tóxica estrutural e são verdadeiras nos propósitos a favor da causa LGBT.

Localizada na Major Sertório, via principal no circuito agitado do Centro, a loja mantém cautela, inclusive, com a cadeia de produção por trás da curadoria selecionada de marcas de moda, acessórios, beleza e bem-estar.

Em busca de designers que primam por moldes conscientes em suas criações, a NÓ conta hoje com etiquetas cujo pilar principal é a moda autoral, feita por jovens designers atentos às urgências da indústria. Nas araras, etiquetas como Cemfreio, Saint Studio, Projeto01, Gávea, DarkLevel, Makra, Lovestyle, StayUgly, 1991, Psicotrópica, Pitô, Kitecoat, dentre outras, estão presentes na curadoria.

O propósito do Orgulho não se restringe somente à curadoria, mas também ao calendário de ações na loja que fomentam o público LGBT, como o TRANSBAZAR, que reuniu nomes importantes da comunidade transexual para um bazar, onde o lucro foi inteiramente revertido para compra de binders e packers para meninos trans. Além dessa ação, eventos como o Pré-Parada, com talk sobre saúde mental LGBT, e o DESAPEGA NÓ, bazar beneficente ao Centro de Referência e Defesa LGBT, em São Paulo.

Fotos: Divulgação