O empresário da noite LGBTQI+ paulistana, Massay Guerreiro, vai abrir seu primeiro bar fora do Brasil. Massay ficou conhecido com o sucesso do ‘Boteco do Massay’ nos Jardins, em São Paulo, sendo o primeiro bar LGBTQI+ a ousar e levar repertório diferenciado para a noite, com sertanejo, axé e outras peculiaridades, além das festas itinerantes produzidas por ele – arrastando multidões em toda as edições. À partir da próxima semana Massay segue novos desafios e embarca em Portugal para preparar a primeira unidade do Boteco do Massay, em Lisboa.

O plano faz parte do projeto inicial do Boteco em criar uma marca forte para espalhar festas itinerantes ao redor do Brasil e do mundo. No último ano Massay levou as festas do Boteco para cidades como Brasilia, Vitória e Rio de Janeiro. A decisão de ir para fora do País, de acordo com Massay, foi a percepção de que a Europa tem uma cultura de bares bem valorizada, além da música brasileira estar em alta por lá. “Eu sempre fui muito sonhador e quando criei o projeto do Boteco aqui em São Paulo, eu visava o Brasil todo. Como a nossa música está muito forte lá fora, vejo que e hora de encarar um novo desafio: alcançar os brasileiros que moram por lá e conquistar o público europeu”, conta Massay.

E para dar sequência ao plano, Massay e Marcelo Forin (sócios do Boteco), estão de mudança para Lisboa para lançar oficialmente a marca. “Fazemos questão de estar por perto para que o Boteco tenha a nossa cara. Queremos que os brasileiros que moram lá tenham a mesma sensação que o nosso público tem aqui e, aos poucos, possamos conquistar os europeus com nossa ‘brasilidade’. É um bom momento para fazer isso, Lisboa se tornou uma das melhores cidades para viver no mundo e o crescimento da cidade tem sido muito satisfatório. Lá eles não tem o mesmo costume de festas que nós temos aqui, mas a cultura de bar sempre esteve no DNA dos portugueses”, diz Marcelo.

A unidade de São Paulo deixará de chamar “Boteco do Massay”, à partir da próxima semana, apesar de Massay continuar tendo parte na sociedade do estabelecimento. “Eu estou tirando o nome da unidade de São Paulo porque não conseguirei cuidar do Boteco daqui da maneira que acho exemplar. Assumirei apenas a direção artística da unidade, que vai trazer junto com o novo nome, dois novos sócios, também já conhecidos da noite LGBTQI+, com surpresas que ainda não posso contar”, esclarece Massay.

E quando perguntados sobre novas unidades na Europa, Massay e Marcelo não desconversam: “É um sonho! Mas todo sonho precisa ter pés no chão, senão vira pesadelo. Vamos começar com Lisboa e entender melhor o mercado europeu. Se der certo, porque não?!”, completa Marcelo.

Foto: Luciano Santos / TalentMix