Glória Kalil dá dicas de etiqueta e aponta o que não fazer em um casamento

Por Dan Fortes *

Na última segunda-feira, 3, o Casar SP realizou um evento para a inauguração da thebar.com, uma nova platarforma online para compra de bebidas da Diageo, dona de marcas como CIROC, Johnnie Walker, Smirnoff, Tanqueray entre outras.

Voltado apenas para assessores e produtores de festas, o evento aconteceu no espaço Trio Pérgola, no Itaim Bibi, em São Paulo, e teve como convidada de honra a expect em etiqueta e comportamento, Glória Kalil, que nos agraciou com sua presença e elegância e nos orientou quanto aos comportamentos adequados e inadequados em um casamento.

Confira as perguntas e respostas:

Glória, o que você acha dos casamentos de hoje em dia?
Hoje em dia os casamentos são mais sofisticados e com menos convidados, o que dá mais conforto aos presentes no evento, além da possibilidade de maior atenção dos noivos com os seus.

Quanto você acha que atraso é tolerável para início de uma cerimônia?
Nós brasileiros temos em nossa cultura o atraso como um protocolo natural. Em todas as partes do mundo os brasileiros são vistos como pessoas que atrasam e, que entre nós, é tolerável 15 minutos. Porém, mais de 30 minutos é inadmissível, sendo deselegante com os convidados que chegaram na hora e aguardam pela cerimônia.

Madrinhas podem usar preto? 
Não aconselho. O preto é historicamente associado ao luto. E uma cor escura num momento de felicidade não traduz coerência. Preto é indicado para momentos e eventos fúnebres ou de seriedade que exija tal traje.

O que você manteria das tradições do casamento?
O vestido branco da noiva. Todos aguardam o momento de sua entrada, e se na hora ela aparece de outra cor a receptividade, o acolhimento dos convidados não será a mesma coisa, já que eles poderão estar chocados com alguma cor exuberante ou diferente do tom aguardado.

O que fazer quando se têm crianças entre os convidados?
O ideal era não ter. Ou se tiver, que após a cerimônia fossem levados para casa, pois o evento desse porte não é aconselhável para elas. Crianças precisam de entretenimento o tempo todo, sem isso saem correndo, esbarram em garçons, podendo ter o risco de louças quebradas, então, o ideal seria que elas não estivessem presentes. Não havendo outras opções como deixar com babá, ou outra pessoa responsável, contrate um espaço kids, com monitores responsáveis por mantê-las entretidas.

gloria

Qual o tempo ideal de uma festa de casamento?
Os noivos querem aproveitar até o último instante desse dia, mas esquecem de que para os convidados aquele dia não é a mesma coisa. Então, não é recomendável uma festa com mais de 5 horas, pois após esse período geralmente acontecem coisas que não deveriam acontecer; os convidados ficam bêbados além da conta e constrangimentos podem ser fatais.

O que você pensa sobre o corte da gravata do noivo para arrecadação de dinheiro?
Totalmente deselegante. Não podemos convidar ningúem pensando no quanto fulano pode contribuir para o casamento. A brincadeira ficou séria nos casamentos e hoje é constrangedor para o convidado que não tem como contribuir, ou não foi preparado para isso. Se já existe a lista de presentes para tal, a mesma deveria ser utilizada como forma de receber os bons votos de felicidades ao casal.

Está em alta o uso de trajes para madrinhas e padrinhos todos com o mesmo padrão de tons. O que você pensa a respeito disso?
Essa moda é importada dos EUA e não tem nada a ver com a nossa cultura, mas o mais importante é manter a coerência, tanto da festa, quanto em relação ao estilo do casal.

Glória conta que foi convidada para um casamento onde as madrinhas usavam chapéus e vestidos longos e ficava nítido que nenhuma delas usara esse tipo de traje antes, o que transparece o incomodo da pessoa que está usando quanto o desacordo em relação ao estilo de vida do casal. Isso deve sempre ser levado em consideração para qualquer tipo de escolha, desde os trajes que serão indicados quanto o tipo de serviço que será prestado.

Glória finalizou o bate-papo orientando:

– “Não há certo nem errado. Há o bom senso!”

Glória Kallil durante o bate papo no evento da Casar SP

Glória Kallil durante o bate-papo no evento da Casar SP

*Dan Fortes é relações públicas, empresário e colunista do Vipado

Fotos: Reproduções

Com Resposta

  1. Camila Gomes

    Não costumo concordar com tudo que a Gloria diz, mas acho que a dica dela no final foi fundamental: bom senso é sempre bom, em qualquer aspecto de sua vida e, especialmente, no dia do seu casamento!
    Ótima matéria, Dan!

    Responder

Deixe uma Respostas

Seu endereço de email não será publicado.