O ator Luiz Fernando Guimarães, que está fora das telinhas desde 2014, quando a Globo determinou a extinção do programa Divertics e não o envolveu em mais nenhum projeto, foi escolhido para substituir Ney Latorraca na próxima novela das sete, O Tempo Não Para. Aproveitando o hiato, ele concedeu uma entrevista para a jornalista Maria Fortuna, do O Globo e contou tudo sobre sua vida frente à maior emissora do País.

Durante a conversa, ele contou o que ainda o motiva na dramaturgia. “Trabalho para ter prazer, conviver e ter amigos novos. O que mais gosto é de ser ator. Não decoro texto, preciso ouvir a voz do meu colega. Gosto quando o ator fala em cima do outro, a falta de cerimônia, os programas independentes que fiz me deram essa naturalidade”, contou.

O veterano ainda disse que continua usando droga e pede pela liberação da maconha. “Fumo maconha no meu sítio de vez em quando. Bebo pouco. A bebida estraga, a pele fica ruim. Sou mais diurno que noturno. Sou completamente a favor da legalização, que aí não tem corrupção”, revelou.

Luiz também comentou sobre o fato de ser gay e interpretar personagens bem diferentes na TV. “Ninguém acredita mesmo (que ele seja gay). Tenho fama de pegador, meus personagens são violentos, nada mudou. Não existe fragilidade em mim, no meu temperamento. O mundo é gay. Hoje, não é um problema. É a mesma coisa com a questão do negro, não tem o que discutir, o mundo já é. Existem negros em posições de poder, artistas incríveis. Não há preconceito com Lázaro Ramos, ator maravilhoso”, explicou.

O ator ficou na Globo por 42 anos e participou de diversas produções, como novelas e séries. Na dramaturgia, esteve em Uga Uga (2000) e Cordel Encantado (2011). Suas produções de maior sucesso foram TV Pirata, Minha Nada Mole Vida, Os Normais, entre outras.

Em O Tempo Não Para o veterano viverá um homem de 65 anos, excêntrico, milionário e viúvo. O senhor vai ver no congelamento dos humanos o segredo para a vida eterna.

Foto: Reprodução