Um feito histórico na política de Chicago, terceira maior cidade dos Estados Unidos, tem sido motivo de muita comemoração para a comunidade LGBTQ+. Nesta semana, Lori Lightfoot, de 56 anos, derrotou Toni Preckwinkle, e se tornou a primeira eleita negra e lésbica da cidade. Sua posse acontecerá em 20 de maio.

Com 74%, Lightfoot, que jamais ocupou um cargo eletivo, venceu Preckwinkle, encarregada do condado de Cook, que teve apenas 26% dos votos (dados preliminares). Desde 1837, os eleitores de Chicago elegeram apenas um prefeito negro e uma prefeita mulher. Outras sete mulheres negras, atualmente, são prefeitas nas principais cidades do país, como Atlanta e Nova Orleans.

Em sua campanha, a nova prefeita da cidade anunciou que irá livrar a prefeitura da corrupção e ajudar as pessoas de baixa renda e da classe trabalhadora, que foram “deixadas para trás e ignoradas” pela classe política dominante da cidade. “Enfrentamos interesses poderosos. Hoje vocês conseguiram mais do que fazer história, criaram um movimento para a mudança”, disse Lightfoot em seu discurso da vitória, acompanhada por sua esposa e filha.

“Juntos nós podemos e faremos de Chicago um lugar onde o seu código postal não determina o seu destino. Nós podemos e vamos quebrar o interminável ciclo de corrupção desta cidade e nunca mais permitir que os políticos lucrem com seus cargos”, concluiu Lightfoot.

Foto: Reprodução