Uma pesquisa realizada em todo mundo, avaliou o preço que o consumidor final paga por roupas da marca Zara, varejista conhecida mundialmente. E os dados revelados, não são nada satisfatórios para os brasileiros.

Segundo o estudo da ‘BTG Pactual, chamada de ‘Índice Zara, uma peça de roupa nas lojas brasileiras da marca sai em média 18% mais cara que o mesmo item vendido nos Estados Unidos. Os países com preços mais baixos são Portugal e Espanha, onde as peças da rede chegam a custar 36% a menos do que o cobrado nos Estados Unidos.

O levantamento que avaliou 12 produtos vendidos pela rede espanhola em 44 países, começou a ser feito em 2014, na época, os preços cobrados nas lojas Zara brasileiras eram 21,5% superiores. Em 2015, o valor era praticamente o mesmo. Já em 2016, pela primeira e única vez, foi mais barato comprar no Brasil que nos EUA (-22,5%).

Para comprar um blazer básico no Brasil, por exemplo, o consumidor precisa desembolsar US$ 55 (R$ 204), enquanto na Espanha apenas US$ 34 (R$ 126,3). Já uma camiseta básica sai por US$ 6,8 nas lojas espanholas; por aqui, o brasileiro precisa pagar US$ 20,8, três vezes mais.

Um dos principais aliados aos preços caros no Brasil são as distâncias das fábricas, aliada aos altos impostos de importação brasileiros, que faz com que as peças da Zara sejam mais caras por aqui.

A pesquisa ainda apontou que 57% das fábricas estão concentradas na Espanha, Portugal, Marrocos e Turquia. Além disso, apenas 92 fábricas estão localizadas no Brasil ou na Argentina, o que representa 1,3% das fábricas da Zara. Há dez anos, ainda segundo a BTG, esse percentual era de 40%.

Foto: Reprodução