A Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap) vai estudar a criação de um presídio exclusivo para gays, lésbicas, bissexuais e transexuais no Rio, segundo informação do Jornal OGLOBO.

A medida será analisada pela Coordenação de Unidades Prisionais Femininas e Cidadania LGBT, criada esta semana. Atualmente, os detentos com esse perfil estão em diversas cadeias do sistema, como o Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho, no Complexo de Gericinó, e o Presídio Evaristo de Moraes, em São Cristóvão.

“Precisamos ouvir o que os presos acham da ideia. Não se cria qualquer política sem ouvir a população e ver qual é a sua necessidade. Precisamos estudar todos os dados e políticas possíveis. O secretário (David Anthony) quer que ocorram projetos diferenciados”, afirmou Ana Cristina Faulhaber, coordenadora do novo setor.

A coordenadora também pretende criar políticas específicas para as mulheres nas cadeias. Segundo Ana Cristina, uma delas é a uniformização de todos os procedimentos de revista nas unidades prisionais, além da humanização dos espaços onde as detentas recebem visitas dos filhos.

Foto: Reprodução